11 julho 2003

DA RESSURREIÇÃO DO ESPANTO - aforismo nº 38

Adorei os seus femininos ecléticos devaneios, a sapiência prolixa e algo erudita-delicada. Contudo, do que mais gostei - e com que tenciono vir apenas a sonhar - foram as pernas de sublime arte fisiológica e os seios apontados que pareciam disparar desejos ao alvo inocente dos meus olhos lacrimejantes de espanto e de vontades quotidianamente sentidas.

in UM BAILADO NO CENTRO DA ALMA, ângelo rodrigues, Ed. Minerva, 2002, 88 pp.