24 julho 2003

M.A.U. - Manifesto Anti-Uniformização

Viagem desesperada em fuga ao cinzentismo conformista
Amigos:

Os poetas não prestam?.............Não!
Os poetas cheiram mal? ............. Cheiram!
Os poetas são execráveis?.......... São!
Os poetas são mudos? ........ Sim! Excepto quando declamam jornais.
Abaixo os poetas? ............... Abaixo!
Morram os poetas? .............. Morram!
Abaixo os chatos! Abaixo os esotéricos!
Morte à cabala e a quem a declamar!
Que morram os poetas ........... Todos
Mas todos!
Mas amigos:
- Que fique a poesia!
- Que fique o amor!
- Que fique a palavra
O sonho
A tesão!
Que fique Pasolini e o «Maravilhoso Direito à Interioridade»
Que fique a Arte subversiva e insubmissa,
Que pode incendiar cidades ou encher corações» do Tolentino Mendonça!
Que fiquem o Abílio Sampaio e o Ângelo Rodrigues . Porque sim!
Que fiquem o Jafga e o Von Trina......... Porque não!
Que fiquem os poetas tolos ................. que já não resistem!
Que fiquem apenas os mais tolos ......... que agora atacam!

Viva a beleza!
Viva a alegria!
Viva a fantasia!
Vivam os espíritos inquietos! Viva! Viva! Viva!
Morte à mordaça e ao Dantas!
Morte à ditadura e à ditamole!
Morte à uniformização pedófila marreca e zarolha!
A uniformização é venérea? ....... É!
A uniformização é globalmente culta?
A cultura é uniformemente global?
A globalização é uma cultura uniforme? .... Não! Três vezes não!
Morram os mortos .......... porque não vivem!
Morram os vivos ............ que nunca mais morrem!
Viva a vida ..... viva a coragem .... viva a fantasia
Viva o pensamento ... viva a criação ..... viva a liberdade! Viva! Viva! Viva!

Amigos:
Tenham esperança!
Sejam exigentes!


von Trina
Subscrito por Júlio Roberto, JAFGA, Abílio Sampaio e Ângelo Rodrigues