21 agosto 2003

DA RESSURREIÇÃO DO ESPANTO - aforismo nº 4

O encanto hipotético do angustiante esmagamento do cosmos provoca-me todo o Sentido, toda a Possibilidade. Entre a Noite e o Dia repousará o «HÁ QUALQUER COISA» de olhos fechados e assim se ouvirá o meu grito de libertação. E a Eternidade (?) É no contexto desta promessa inteligível que a mais-que-palavra VIDA deixará de soar como um veredicto. O território inacessível da Verdade e da Beleza partirá para o eterno desconhecido. Tenho já todo o direito a essa Beleza dionisíaca concebida pela minha embriaguez de «HÁ QUALQUER COISA» de olhos fechados. Só me resta talvez, esperar pelo convívio da alma. Só me resta a anti-palavra. Para estar no Infinito, basta apenas fechar os olhos.

in UM BAILADO NO CENTRO DA ALMA, ângelo rodrigues, Ed. Minerva, 2002, 88 pp.