22 novembro 2003

BEBER MAIS UM SONHO

Basta por agora
Uma garrafa de vinho
Embriagar-me sozinho
E adormecer a hora fútil

Sentir a mãe loucura
Afogar este tédio esta amargura
Fome de mudança
Labirinto que procura

Gritar o novo tempo
Liquidar o herói maldito
Libertar o pensamento
Das garras do novo mito

Beber mais um sonho
Embriagar-me de fantasia
Comer o monstro medonho
O rei da hipocrisia

Partir e não chegar
Que o caminho é infinito
Inquieta-me esta viagem
Abarrotada de conflito

in DA RESSURREIÇÃO DO ESPANTO, Ângelo Rodrigues, Ed. Minerva; Lisboa, 1998