15 dezembro 2003

ENTRE(VISTA) - «DA LITERATURA & AFINS»

Helena Sousa FreitasComo é ser editor em Portugal?

Ângelo Rodrigues - Eu não sou nem quero ser editor; colaboro sim com uma editora ao nível da direcção literária o que me dá alguma liberdade de acção para desenvolver projectos no âmbito da descoberta e acompanhamento de novos autores e tal trabalho dá-me alguma satisfação na medida em que acredito que em cada cinquenta autores que ajudo a revelar, pelo menos um haverá de valer a pena. Ser editor em Portugal é uma forma de vida nem sempre compensadora a muitas dimensões. Estou ligado à edição e aos livros por pura paixão e por achar que podia fazer desta actividade uma espécie de "Serviço Público". Em termos gerais, é uma actividade algo penosa, economicamente arriscada, desgastante e quantas vezes mal compreendida por alguns autores e pares.


Excerto de uma entrevista a Ângelo Rodrigues no Sem Mais Jornal em 25 de Fevereiro de 1999 pela jornalista da Agência Lusa, Helena Sousa Freitas.