06 maio 2004

POEMA DO RECOMEÇO. SABEMOS QUE TUDO É MISTÉRIO

Sabemos que existe
O nome e a realidade do nome.
Sabemos que isso é mistério.
Sabemos que em tempos passados,
O nome correspondia à realidade.
Sabemos que hoje nem sempre é assim.
Sabemos da nossa grande insatisfação e inquietude.
Como disse o outro: «sabemos que nada sabemos».
E o que sabe, quando se arma em sábio,
Torna-se arrogante, estúpido e patético.
Sabemos da nossa extrema fragilidade e finitude.
Sabemos dos mistérios e do NADA.
Sabemos da vontade de entrar e de ficar
A contemplar os mistérios e o NADA.
Sabemos que um dia alguém nos diz
Que acabou o ciclo das existências e transmigrações.
Sabemos que há uma meta.
Sabemos que vivemos e resistimos
Porque queremos conhecer o FIM.
O FIM é o conceito mais belo que existe!
Sabemos o que sabemos e isso
É mesmo muito pouco ou NADA.
Sabemos que tudo é mistério.
Sabemos da nossa inquietude e insatisfação.
Sabemos?!