30 novembro 2004

ANÁTEMA

Sou o anátema de mim próprio.
Como seria feliz (mas imbecil) se conseguisse ser ortodoxo!

Sem comentários: