08 fevereiro 2005

EDUCAÇÃO - ENSINO - Lembrem-se (também) disto quando votarem!

Enquanto professor do Ensino Secundário e Recorrente (Filosofia, Psicologia, Psicossociologia e afins), resisto, luto e tenho esperança - pouco mais posso fazer. O talvez "sistema de Ensino português" (ou lá o que isso é!) mais parece uma manta de retalhos com remendos e remendinhos. Urge fazer a revolução do Ensino em Portugal! Alguns professores estão espantados e "estúpidos" com tanta ineficácia por quem de direito.
A Escola está a perder terreno. As novas pedagogias (em parte) "lixaram" tudo. O Ensino tem que ser reformulado completamente e urgentemente. Neste caos em que está o "Ensino, Formação, Educação", com professores tratados como lixo e "abaixo de cão", (sem um apoio mínimo para a aquisição de livros, por exemplo) o livro, apesar de tudo, tem um papel fundamental. Um compêndio não é mais do que a condensação e a síntese de um vasto conjunto de obras, contudo, creio que os programas curriculares deveriam contemplar mais a leitura integral de obras de autores contemporâneos vivos.
A leitura e a escrita intra e extra curriculares pura e simplesmente não existe. Creio que deveria de existir, ao nível do activismo das escolas, uma regular e obrigatória tertúlia onde fosse possível incentivar o gosto pela leitura e pela escrita. Sei que tem havido louváveis tentativas desta natureza. Infelizmente, e como é habitual, o Ministério da Educação (ou lá o que isso é) anda extremamente distraído. Ainda assim, a paz esteja contigo - irmão sofredor!

1 comentário:

Sérgio A. Correia disse...

Absolutamente de acordo, colega!